Banca de QUALIFICAÇÃO: GEORGE ANTONIO JANGARELLI

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GEORGE ANTONIO JANGARELLI
DATA : 02/09/2022
HORA: 14:00
LOCAL: WEB CONFERÊNCIA
TÍTULO:

A VARIABILIDADE DAS CHUVAS NA REGIÃO FISIOGRÁFICA DO BAIXO SÃO
FRANCISCO E SUAS POSSÍVEIS CONTRIBUIÇÕES AS VAZÕES DO BAIXO CURSO DO
RIO SÃO FRANCISCO.



PALAVRAS-CHAVES:

Mudanças climáticas; Vazão regularizada; Rio São Francisco.


PÁGINAS: 60
RESUMO:

Estudos recentes vêm apontando que as mudanças no climáticas em
curso poderão resultar na redução de chuvas e aumento das secas no Nordeste
brasileiro, agravando assim o quadro de vulnerabilidade hídrica em toda a região,
especialmente em áreas que já apresentam certo grau de susceptibilidade, como é
o caso do Baixo São Francisco. Diante destes eventos, ressalta se a necessidade de
se conhecer com maior exatidão a dinâmica das chuvas nesta região, para assim,
apoiar tomadas de decisões referentes a gestão dos seus recursos hídricos. Visando
contribuir com o enfrentamento destas questões, propõe se por meio desta
presente dissertação um estudo que permitirá caracterizar a variabilidade espaço
temporal das chuvas no Baixo São Francisco e suas possíveis contribuições às
vazões do Baixo Curso do Rio São Francisco, no período de 1980 a 2013. O
desenvolvimento desta pesquisa fundamenta se na base de dados fornecida por
Xavier (2016), a qual abrange o período de 1980 a 2013, em uma escala de 0,25º
(25 km) para todo o Brasil. A partir desta base serão elaboradas cartas de isoietas
correspondentes aos valores mensais e anuais de precipitação de 39 pontos
distribuídos ao longo da bacia. O conhecimento da variabilidade das chuvas
permitirá, em um primeiro momento, conhecer as características e as possíveis
tendências da distribuição espacial e temporal das chuvas. Partindo se deste
resultado, será possível analisar as contribuições das chuvas as vazões do Baixo
Curso do Rio São Francisco. Sabe se que o regime de vazões do Rio São Francisco é
composto especialmente pela dinâmica das chuvas que ocorrem nas regiões
fisiográficas do Alto, Médio e do Sub médio, cabendo as chuvas do Baixo São
Francisco uma menor participação, a qual ainda não foi caracterizada de maneira
adequada. Sendo assim, análise da relação das vazões do São Francisco com as
chuvas regionais proposta nesta pesquisa permitirá observar se existem variações
destas vazões que podem ser associadas a contribuição das chuvas regionais.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1292888 - JORIO BEZERRA CABRAL JUNIOR
Interno - 1891214 - KLEYTHON DE ARAUJO MONTEIRO
Presidente - 2501620 - MELCHIOR CARLOS DO NASCIMENTO
Externa à Instituição - REBECCA LUNA LUCENA - UFRN
Notícia cadastrada em: 22/08/2022 10:14
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 05/03/2024 08:11