Banca de DEFESA: FERNANDA THAIS DE VASCONCELOS NOBRE



Uma banca de DEFESA DE MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: FERNANDA THAIS DE VASCONCELOS NOBRE
DATA: 31/07/2019
HORA: 09:00
LOCAL: MACEIÓ
TÍTULO:

Estudo descritivo das alterações anatomopatológicas e do parasitismo identificadas no
aparelho reprodutivo de cadelas infectadas naturalmente por Leishmania infantum,

procedentes do Estado de Alagoas


RESUMO:

A leishmaniose visceral possui uma ampla distribuição mundial sendo causada por um protozoário
da espécie Leishmania infantum, qualificada como uma das zoonoses que mais crescem no mundo
moderno. O cão doméstico atua como reservatório prioritário do agente etiológico da enfermidade,
pois favorece de maneira significativa a manutenção de ciclos urbanos da doença pela intensa carga
parasitária que possui na pele que favorece a infecção do inseto vetor, sobretudo em regiões
endêmicas. A doença nos caninos progride com alterações anatomopatológicas em diversos órgãos
linfoides e não linfoides, de onde pode-se incluir os componentes do aparelho reprodutor feminino.
Contudo, diante das discordâncias e controvérsias sobre infecção genital e transmissão vertical da
LVC, o presente estudo propôs realizar uma avaliação anatomopatológica-parasitária e molecular
em cadelas com e sem alterações genitais, infectadas naturalmente com Leishmania infantum e
procedentes do Estado de Alagoas. Para a realização do presente estudo foram utilizadas 17 cadelas,
com idade superior a seis meses de idade, de raças variadas, não castradas e com diagnóstico
positivo para LVC, oriundas dos municípios de Maceió e Marechal Deodoro - AL. Para o
diagnóstico da doença, a Unidade de Vigilância em Zoonose (UVZ) de Maceió realizou
previamente o teste rápido imunocromatográfico plataforma dual path (DPP ® ) e o ensaio
imunoabsorvente ligado a enzima (ELISA) realizado pelo Laboratório Central de Saúde Pública
LACEM do Estado de Alagoas. Posteriormente aos exames laboratoriais, foi realizada a eutanásia
dos animais pelas autoridades sanitárias da UVZ de Maceió. Seguida a eutanásia, os animais foram
submetidos a avaliação anatomopatológica na própria UVZ de Maceió, sendo os achados tabulados
em fichas individuais e os animais classificados em dois grupos distintos: animais sem alterações
anatomopatológicas sugestivas da LVC (Grupo I) e animais com alterações anatomopatológicas
indicativas da LVC (Grupo II), segundo os critérios estabelecidos por Ciaramela e Corona (2003).
Os resultados demonstraram que 52,94% (9/17) das cadelas apresentavam exsudato vaginal ou
uterino de coloração brancacenta e 47,05% (8/17) não exibiram exsudação genital. Contudo,
41,17% (7/17) das cadelas não apresentavam alterações anatomopatológicas sistêmicas compatíveis
com LVC e 58,2% (10/17) apresentavam lesões em órgãos compatíveis com a LVC. Na análise
parasitológica foi observado que 14 (82,35%) dos 17 animais foram positivos em uma das três
análises realizadas na medula óssea da tuberosidade ilíaca, manúbrio do esterno e linfa do linfonodo
poplíteo e que apenas 5 (29,41%) das 17 amostras foram positivas na PCR. Na análise
histopatológica e coloração pela HE nos órgãos do aparelho genital feminino foi evidenciado
apenas em região de pele pilosa da vulva formas amastigotas de Leishmania sp. em 2 (11,66%) das
17 amostras analisadas, sendo determinado correlação entre carga parasitária e presença do
protozoário nos órgãos genitais femininos estudados. Pôde-se concluir com os resultados deste
trabalho que, na biologia molecular os primers MC1/ MC2 não exibiram eficiência na detecção de
DNA de Leishmania sp. nos animais estudados. E que na anatomia patológica, a endometrite e a
ooforite são detectadas pela presença de infiltrado inflamatório mononuclear inespecífico, sendo o
infiltrado inflamatório linfohistioplasmocitário com presença de formas amastigotas de Leishmania
sp. a alteração predominante na pele pilosa da vulva.


PALAVRAS-CHAVE:

Zoonose. Diagnóstico. Leishmaniose visceral canina. Trato genital feminino.


PÁGINAS: 10
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1767039 - DANILLO DE SOUZA PIMENTEL
Interno(a) - 1640263 - KARLA PATRICA CHAVES DA SILVA
Externo(a) à Instituição - RAFAEL ANTÔNIO DO NASCIMENTO RAMOS - UFPE
Notícia cadastrada em: 16/07/2019 10:02
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 17/08/2022 10:01