Banca de QUALIFICAÇÃO: CAROLINE FLEURY CANESIN



Uma banca de QUALIFICAÇÃO DE MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: CAROLINE FLEURY CANESIN
DATA: 08/06/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Unidade educacional de Viçosa
TÍTULO:

INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO E ESTUDO DE CASOS DA BRUCELOSE
CANINA POR BRUCELLA ABORTUS


RESUMO:

A Brucelose canina é uma doença infectocontagiosa crônica, que acomete os canídeos
domésticos e silvestres e o homem. Tem características epidemiológicas distintas quanto ao
agente etiológico em áreas rurais e urbanas. Em áreas rurais, frequentemente é causada pela B.
abortus, devido a convivência estreita com bovinos e pequenos ruminantes, que são acometidos
por essa espécie de elevada virulência. Objetivou-se com essa pesquisa identificar a brucelose
por Brucella abortus e os possíveis fatores de risco associados à transmissão da infecção em
cães da zona urbana do município de Viçosa-AL, assim como alertar as autoridades sanitárias
sobre o risco dessa potencial zoonose. Foi realizado um estudo no município de Viçosa – AL
para investigar a presença de Brucella abortus em 30 cães machos adultos. Utilizou-se as
técnicas de Antígeno Acidificado Tamponado (AAT), como prova de triagem e 2-
Mercaptoetanol (2-ME) como confirmatório para os positivos no AAT com sintomatologia de
Brucelose. O estudo visou analisar a quantidade de cães positivos, as alterações clínicas, anato
patológicas e os fatores de risco para a ocorrência. Dos 30 animais testados com AAT, 15 eram
domiciliados e 15 semidomiciliados em que, 60% (9/15) e 47% (7/15) desses cães foram soro
reagentes, respectivamente. Dos 16 cães soro reagente para AAT, apenas 13,3% (4/30)
apresentavam sintomatologia e foram testados com 2-ME, sendo 100% (4/4) confirmados. Os
animais sintomáticos apresentavam alterações testiculares, dos quais 50% (2/4) tinham
hipertrofia de um dos testículos e 50% (2/4) tinham aumento bilateral, sendo um deles com
secreção ocular. Os 13,3% (4/30) cães com sintomatologia e que deram positivos no teste 2-
mercaptoetanol passaram por orquiectomia, como forma de avaliar as alterações
anatomopatológica dos testículos e como forma de tratamento, além do uso de terapia
antimicrobiana. Nos exames anato patológico foram observadas características típicas de
animais brucélicos, tais como 50% (2/4) das espermátides estavam degeneradas e com presença
de células gigantes multinucleadas. Apenas o contato com animais de produção apresentou
associação com a brucelose (p < 0,05), sendo considerado como um fator de proteção (RR =
0,33). As demais variáveis avaliadas não apresentaram associação com a brucelose, nem se
apresentaram como fator de risco ou de proteção para a doença (p > 0,05). Como os cães são
meios de transmissão ao homem, as autoridades de saúde devem dar uma atenção especial a
essa doença, incluindo o controle dos cães no Programa de Controle e Erradicação de Brucelose
do Ministério da Agricultura. Além de intensificar o controle de vacinação e diagnóstico em
bovinos


PALAVRAS-CHAVE:

Brucella abortus. Cão. Brucelose canina. Epidemiologia.


PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária

MEMBROS DA BANCA:
Interno(a) - 1817930 - CHIARA RODRIGUES DE AMORIM LOPES
Externo(a) à Instituição - GRAZIELA KOPINITS DE OLIVEIRA - UFAL
Presidente - 1640263 - KARLA PATRICA CHAVES DA SILVA
Notícia cadastrada em: 05/06/2020 14:27
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 17/08/2022 11:30