Banca de DEFESA: VIVIANE MELO COELHO BARROS



Uma banca de DEFESA DE MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: VIVIANE MELO COELHO BARROS
DATA: 29/01/2021
HORA: 15:30
LOCAL: Plataforma online (Google Meet)
TÍTULO:

Estudo epidemiológico da infecção por Dirofilaria immitis em cães provenientes do litoral de Alagoas


RESUMO:

A prevalência da infecção por Dirofilaria immitis em cães no Município de Maceió foi relatada por Brito et al. 2000, onde 3,1% dos animais apresentaram microfilaremia. Em virtude dessa lacuna de mais de 20 anos sem dados atualizados da infecção no Estado de Alagoas, objetivou-se no presente trabalho calcular a prevalência e os fatores de risco da infecção pro D. immitis em cães do litoral de Alagoas. Foram coletadas amostras de sangue de 426 cães domiciliados e semidomiciliados, com idade superior a seis meses, de ambos os sexos, totalizando 197 fêmeas e 229 machos, sem distinção de raça porte ou pelagem, utilizando seringas de 5 mL, com agulhas 22G, através da punção da veia cefálica, executando a imobilização de forma física pelo tutor, sendo estes provenientes de 15 municípios do litoral de Alagoas (Maceió, Paripueira, Barra de Santo Antônio, Passo de Camaragibe, São Miguel dos Milagres, Porto de Pedras, Japaratinga, Maragogi, Marechal Deodoro, Barra de São Miguel, Roteiro, Jequiá da Praia, Coruripe, Feliz Deserto e Piaçabuçu). No momento da coleta, foi realizado um questionário abordando os fatores de risco (sexo, idade, sinais clínicos, raça, porte da raça, pelame, cor da pelame, vermifugação, presença de mosquito, relato de viagem, perfil e origem do animal, e manejo) com cada tutor. Para análise parasitológica, foi realizada a técnica modificada de Knott, onde os animais positivos foram selecionados com o critério de apresentar menos de 100 microfilárias por lâmina, seguirão para realizar o teste sorológico ELISA (teste rápido-comercial). Os materiais biológicos foram processados no laboratório de Doenças Parasitárias dos Animais Domésticos da Universidade Federal de Alagoas/ Unidade Educacional Viçosa, Campus de Engenharias e Ciências Agrárias - CECA. Observou-se a prevalência de 93,33% (14/15) de cães com microfilaremia nos municípios avaliados. Das 426 amostras examinadas, foi detectada a presença de microfilária em 23,47% (100/426), cujo município de maior prevalência foi Jequiá da Praia 54,54% (18/33) e a menor prevalência foi observada em Feliz Deserto 0% (0/17). Dos animais microfilarêmicos selecionados amostras apenas com menos de 100 microfilárias por lâmina, correspondendo a 65% (65/100) e estas submetidas ao exame de imunoadsorção enzimática (ELISA) para a pesquisa de antígenos específicos de Dirofilaria immitis. Do total de amostras analisadas pelo exame sorológico, 26,15% (17/65) reagiram positivamente. Foi observada diferença significativa em relação ao sexo, com 30,6% (70/229) nos machos e 15,2% (30/197) nas fêmeas (p<0,001), e o manejo, tendo em vista que 31% (71/229) dormem no quintal; 23,1% (3/13) são semidomiciliados e apenas 10,3% (8/78) dormem no interior da residência (p<0,001). Os dados apresentados demonstram a necessidade da utilização de mais de uma técnica de diagnóstico para a detecção da infecção por D. immitis em cães, além do incremento da prevalência dessa infecção na região estudada, observando-se como fatores de risco o manejo e o sexo dos animais, caracterizando a região estudada como endêmica.


PALAVRAS-CHAVE:

Dirofilariose, técnica modificada de Knott, sorologia.


PÁGINAS: 41
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária

MEMBROS DA BANCA:
Externo(a) à Instituição - FLAVIANA SANTOS WANDERLEY - UNCISAL
Externo(a) ao Programa - 2119250 - MULLER RIBEIRO ANDRADE
Presidente - 1640530 - WAGNNER JOSE NASCIMENTO PORTO
Notícia cadastrada em: 22/01/2021 12:34
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 11/08/2022 23:20