Banca de DEFESA: MIK SUELEN PEREIRA SANTOS



Uma banca de DEFESA DE MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: MIK SUELEN PEREIRA SANTOS
DATA: 29/01/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma online (Google Meet)
TÍTULO:

Morfometria da artéria celíaca e seus ramos, artéria mesentérica cranial e caudal em caninos domésticos (Canis familiaris, Linnaeus, 1758) (Mammalia: canivora: canidae).


RESUMO:

Objetivou-se com o desenvolvimento deste trabalho, realizar a morfometria da artéria celíaca e de seus ramos, artéria mesentérica cranial e caudal em caninos domésticos. Para realização do presente estudo foram utilizados dez cadáveres de caninos, sendo quatro animais do sexo feminino e seis do sexo masculino, ambos sem raça definida e de idades variadas. Para a fixação dos cadáveres foi infundido solução de formaldeído a 10% pela artéria carótida comum esquerda, seguida de aplicações intramusculares, subcutâneas e submersão em tanque contendo a mesma solução fixadora, por período de 48 horas. Após o tempo de fixação, os animais foram colocados em decúbito lateral esquerdo, sendo realizada celiotomia por incisão paramediana longitudinal xifo-púbica. Com o paquímetro digital foi realizado a morfometria da artéria celíaca e de seus ramos, mesentérica cranial e caudal, em 4 pontos ( P1= Hiato aórtico /eminência da Artéria Celíaca ;P2= Eminência da Artéria celíaca/bifurcação ou trifurcação; P3=Artéria celíaca/Eminência da Artéria mesentérica cranial;P4=Artéria mesentérica cranial / Eminência Artéria mesentérica Caudal). Após aferição do peso médio dos animais, estes variaram entre 7,4kg a 24,4 kg com um a média de 15,42± 4,53 kg quanto a mensuração biométrica longitudinal obteve-se de média nos pontos P1; P2; P3 e P4 respectivamente os valores de 12,10mm; 14,83mm; 10,23mm e 70,41mm; o ponto P1 em 100%(dez) originaram-se da face ventral da A. aorta abdominal. A observação do P2 apenas um animal do sexo feminino 10% (01/10), apresentou uma trifurcação da a. celíaca em ramos gástrico, esplênico e hepático. Concluiu-se que a morfometria da origem dessas artérias são variadas e que corrobora com os autores citados. Entretanto, a identificação da trifurcação na artéria celíaca mostra que mesmo identificada é pouco relatada dificultando assim uma maior disseminação dessa informação e de mostra outras possíveis variações arteriais. Sendo necessários mais estudos para maior mensuração e precisão dessas variações morfométricas.


PALAVRAS-CHAVE:

gastroenterologia, medicina interna, angiologia, clínica cirúrgica.


PÁGINAS: 31
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Medicina Veterinária

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1767039 - DANILLO DE SOUZA PIMENTEL
Interno(a) - 1081252 - FERNANDO WIECHETECK DE SOUZA
Externo(a) à Instituição - GRAZIELA KOPINITS DE OLIVEIRA - UFAL
Interno(a) - 1544770 - THIAGO BARROS CORREIA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 27/01/2021 16:09
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 17/08/2022 10:10